Menu

Como Cuidar de um Ente Querido Com a Doença de Alzheimer

agosto 28, 2019 - Conselhos
Como Cuidar de um Ente Querido Com a Doença de Alzheimer

Confira neste conteúdo quais são os principais cuidados que você pode ter no dia a dia para cuidar de um ente querido que tem a doença de Alzheimer.

Cuidar de um ente querido envelhecido é um desafio. E quando ele é diagnosticado com a doença de Alzheimer, a tarefa pode parecer quase impossível até para o melhor cuidador de idosos.

É difícil saber que a pessoa com quem você está muito próximo pode perder a capacidade de lembrar seu nome ou, pior, reconhecê-lo. Embora há casos e casos, existem algumas diretrizes gerais que visam ajudá-lo a fornecer o melhor tratamento possível ao seu ente querido com a doença de Alzheimer.

O que é a doença de Alzheimer?

A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência, um termo geral para declínio cognitivo e perda de memória. Afeta memória, pensamento e comportamento. 

Enquanto o declínio cognitivo progressivo é devastador, a parte mais perturbadora da doença de Alzheimer é que atualmente é irreversível.

Cuidar através dos estágios da doença de Alzheimer

O comprometimento intelectual progride gradualmente de um esquecimento para uma incapacidade completa. No início, a pessoa pode parecer um pouco esquecida. Então, com o passar do tempo pode ter mais dificuldade em aprender novas coisas ou até mesmo falar. Conforme a doença avança, o trabalho se torna cada vez mais exigente.

Dito isso, é importante lembrar que, embora a doença de Alzheimer não possa ser interrompida, há muito o que fazer para melhorar a qualidade de vida da pessoa que sofre com essa condição.

Ao entender como o Alzheimer avança, você será capaz de se adaptar e se preparar para o inevitável.

Doença de Alzheimer – estágio inicial

Este estágio é o mais difícil de reconhecer. Não lembrar compromissos e conversas que aconteceram em apenas algumas horas atrás pode ser uma bandeira vermelha.

Se o seu ente querido acaba de ser diagnosticado com a doença de Alzheimer, uma das coisas mais importantes que você pode fazer por eles é se informar. Quanto mais você souber a respeito da doença, mais você será capaz de entender o que estão passando. 

Quando você tem uma melhor compreensão da doença, você será capaz de gerenciar melhor seus cuidados, será capaz de ver por que eles estão agindo do jeito que estão e estará mais propenso a lidar com um maior nível de paciência que seu novo papel exigirá de você.

Durante este estágio inicial, você deve se concentrar em maximizar sua independência. Você pode conseguir isso apoiando-os em suas decisões, fornecendo o companheirismo necessário e ajudando-os a se preparar para o futuro. 

Tomar a iniciativa de aprender e de se preparar ajudará você a superar, se não evitar, muitos dos possíveis obstáculos com os quais este diagnóstico vem.

Por exemplo, conhecer um efeito colateral comum da doença de Alzheimer é que a agressão pode acontecer em algum momento. Se o seu ente querido se tornar agressivo por aparentemente nenhuma razão, você será capaz de compreendê-lo melhor. Você saberá que é parte da doença e não vai levar para o lado pessoal.

Doença de Alzheimer – estágio médio

É o estágio mais longo e também requer mais flexibilidade como cuidador. Você provavelmente notará que seu ente querido tem mais dificuldade com as palavras e ele pode se frustrar mais facilmente. 

Ele também pode se recusar a fazer tarefas que ache desagradáveis. Por exemplo, tarefas como tomar banho, que muitas vezes se torna mais uma provação à medida que a doença progride.

O cuidado que você oferece é mais exigente e precisa muita paciência. Dê ao seu ente o máximo de estrutura possível e esteja preparado para ajustar as partes da rotina que não estão funcionando muito bem.

Doença de Alzheimer – fase tardia

O estágio final da doença de Alzheimer é, sem dúvida, o mais desafiador. Durante esta fase, o seu ente querido pode ter dificuldade em fazer tarefas básicas, como comer e engolir. Eles precisarão de atenção 24 horas por dia e você provavelmente precisará de ajuda. 

Por isso, muitos procuram por casas de repouso ou cuidadores de idosos para que possam atender essas pessoas da melhor maneira.

Durante esta fase, você deve tomar precauções extras para garantir que seu ente querido não esteja com dor, pois eles podem ter dificuldade para se comunicar com você.

Grande parte da vida de seu ente é vivenciada através dos sentidos, ou seja, o toque, o som, o gosto, a visão e o olfato. Por esse motivo, você pode cuidar dele direcionando diretamente esses sentidos. Por exemplo, você pode ler para ele, tocar uma música… e assim ir cuidando do seu ente querido.